IIBA MINAS GERAIS

IIBA Minas Gerais – Uma oportunidade única para troca de experiências e conhecimentos entre membros da comunidade de Análise de Negócios e outros interessados.

iiba

8 DICAS PARA MELHORAR A CONCENTRAÇÃO E A MEMÓRIA

Aprenda dicas para melhorar a atenção e a concentração e memorizar melhor as informações

Texto:Rita Trevisan, Louise Vernier/ Foto: Divulgação, Shutterstock/ Adaptação: Letícia Maciel

8 dicas para melhorar a concentracao e a memoria

1- Sair do “piloto automático” e fazer coisas diferentes a cada dia, que saiam um pouco da
rotina, já ajudam a trabalhar o que os médicos chamam de atenção ativa. Vale fazer as compras semanais em um supermercado diferente, mudar o caminho para o trabalho ou tentar um restaurante novo no fim de semana. Novidades em geral fazem bem à memória.

2-Para melhorar a sua memória visualauditiva e tátil, observe detalhadamente uma moeda de 25 centavos e outra de 1 real, estudando bem as semelhanças e diferenças de cada uma. Após um minuto, cubra-as com um papel e tente desenhá-las com o maior número possível de detalhes. Depois, avalie seudesempenho, comparando seus desenhos e as moedas. Em seguida, recomece o exercício, colocando as moedas em um saco e tentando descobrir, pelo tato, qual é a de 25 centavos. Durante o exercício, passe os dedos sobre as moedas e imagine-se olhando para elas.

3-Para associar nomes fisionomias de pessoas conhecidas, faça associações verbais. Se o objetivo émemorizar um nome, como Alcino, por exemplo, ou uma pessoa que tem um bigodemarcante, crie uma associação do tipo: “Ele tem um sino na boca”. Quando o encontrar, você certamente lembrará do sino, e a ligação será quase automática. E arrisque. Quanto mais inusitada a associação, melhor para a sua memória.

4-A concentração, importantíssima para o processo de memorização, também pode ser trabalhada comexercícios simples, como a técnica do ponto fixo. Para treinar, fixe um objeto de mais ou menos 5 centímetros de diâmetro à sua frente, na parede. Deixe todos os outros pensamentos de lado enquanto estiver olhando aquele ponto e volte a seu foco de atenção sempre que necessário. Repita o exercício por 3 minutos, todos os dias.

5- A habilidade de resgatar dados também é fundamentalpara a memória. Para treinar essa capacidade, faleem voz alta, durante um minuto, o que você consegue comprar com uma nota de 1 real e com uma nota de 10 reais. Em seguida, fale, em voz alta, o que poderia comprar com as duas notas juntas por mais um minuto. Procure lembrar-se de tudo o que falou e escreva. Repita com outros elementos, colocandoobstáculos sempre maiores à sua mente.

6- Se você sempre se esquece se tomou ou não o seu remédio, acostume-se a conversar consigo mesma, dizendo algo como: “Missão cumprida, já tomei meu remédio hoje”, logo depois de bebê-lo. Essa simples frase ajudará a guardar o ato, já automático, na memória.

8 dicas para melhorar a concentracao e a memoria7- Essa  dica também melhora a concentraçãosem escrever, escolha uma palavra e soletre-a de trás para a frente. Comece com palavras curtas e que conhece bem e passe gradualmente para palavras mais longas e complicadas. Continue o exercício até que verifique que ele já não é tão desafiador.

8-Para treinar a sua capacidade de organizar informações, earmazená-las de um modo mais adequado, tente os exercícios de categorização. Observe o quadro.  Agora separe as palavras em quatro categorias. Memorize-as. Quando estiver pronto, reescreva as 16 palavras, categorizando-as. Se quiser, você pode continuar o exercício, para trabalhar a suacapacidade de associar ideias. Basta voltar ao quadro e estudar uma sequência de palavras a cada vez, cobrindo as demais com uma régua. Então, imagine um cenário onde apareçam todas as palavras. Um exemplo: o rato amarelo sentou-se na cadeira e foi esmagado pelo leão, que sentou em cima dele, sem perceber. Dê um título a essa cena: a morte do ratinho. Faça isso com todas as sequências e tente recuperar as 16 palavras. Use essa técnica com quaisquer sequências de palavras que queira memorizar (compromissos do dia ou a lista de compras do supermercado).

4 dicas para transformar problemas em inovação

Inovar é resolver problemas complexos, e esse processo começa quando a empresa é proativa

Equívocos-sobre-inovação-1024x653

A melhor maneira de inovar é treinar os funcionários para caçar problemas – e ter um método para resolvê-los, é claro. Para isso, basta identificar quatro habilidades essenciais dos funcionários e dividir a tarefa entre quem é mais capaz de conduzir cada etapa.

Essa é a base da estatégia de criatividade aplicada, criada pelo consultor canadense Min Basadur, especialista em psicologia organizacional. Ele já testou sua teoria em empresas como Procter & Gamble, Pepsico e Pfizer. “Problemas são os ovos dourados de uma empresa, e jamais devem ser vistos sob um aspecto negativo”, afirma.

Para o especialista, o primeiro passo de um gestor é detectar na equipe quem tem cada uma destas habilidades:

1. Gerador: profissional com sensibilidade para detectar problemas e oportunidades;

2. Conceituador: criativo, pensa em diversas alternativas para resolver problemas;

3. Otimizador: é quem cria opções para colocar a ideia em prática com sucesso;

4. Implementador: põe a mão na massa e tem boa aceitação entre colegas para implantar mudanças.

Quando as habilidades de cada um forem identificadas, é hora de partir para a ação. Confira, a seguir, as táticas ensinadas por Basadur em seus trabalhos:

Como funciona o processo de criatividade aplicada?

Inovar é resolver problemas complexos, e esse processo começa quando a empresa é proativa e identifica o que o consumidor não consegue resolver. Mas o cliente não é a única fonte de pesquisa. Podem-se descobrir problemas em qualquer lugar: conversando com pessoas, lendo o jornal, abrindo os olhos para o mundo.

Quem está aberto ao ambiente fica sensível a problemas e oportunidades. Esse é o perfil que chamo de gerador – aquele que sempre procura problemas que viram oportunidades. A segunda fase é a de conceitualização, onde outros profissionais pegam essas oportunidades e a transformam em um problema bem definido e compreensível.

Na terceira fase, a de otimização, a equipe obtém uma solução, uma ideia. Já a quarta fase é a de implantação. Empresas inovadoras são as que incentivam continuamente os funcionários a completar essas quatro etapas.

É errado perguntar ao cliente o que ele quer?

É uma pesquisa pouco produtiva. Se perguntar ao cliente o que ele quer, ele vai dar uma solução, e isso qualquer um pode fazer. O diferencial é identificar os problemas dos quais ele nem tem consciência ainda.

Por isso é preciso trabalhar com os consumidores para saber o que está faltando e inovar no modo de encontrar problemas, e não soluções. É encontrar o que está oculto e que o cliente não consegue articular, a menos que você o ajude a descobrir, fazendo perguntas como “o que te impede de fazer isso?”.

Como construir uma boa equipe para resolver problemas?

Um bom gestor é alguém que sabe engajar pessoas com esses diferentes estilos (gerador, conceituador, otimizador e implantador). Primeiro, precisa descobrir quais são dominantes em cada funcionário, para fazer uma mistura equilibrada.

Observando o comportamento deles, o gestor sabe quem gosta de identificar oportunidades, quem gosta de resolver questões e quem põe a mão na massa. Não é difícil, mas requer treino. Só é preciso gostar do processo, e não tratar problemas como negativos, mas como oportunidades.

Todos os funcionários devem ser resolvedores de problemas?

Sim, todo mundo. É melhor não deixar a responsabilidade para um departamento, pois não dá para mudar uma área sem mudar as outras, pois elas vão resistir. A direção deve, então, identificar problemas estratégicos e formar times interdepartamentais, pois resolver problemas complexos requer colaboração.

E todos devem estar empolgados com o motivo pelo qual a empresa quer inovar. Seus funcionários nunca devem se acomodar na satisfação com o cargo e com os produtos: têm de descobrir sempre bons problemas para resolver. Encorajar o funcionário a descobrir problemas e a desenvolver e implantar soluções é muito motivador, pois estimula a criatividade.

Mas nem todo empresário gosta de compartilhar suas ideias…

Empreendedores temem compartilhar suas ideias porque têm medo de que alguém possa roubá-las. Mas, se ele for um puro gerador, só conseguirá inovar parcialmente, então vai precisar de pessoas com habilidades complementares para ajudá-lo. Muitos não percebem que apenas ter uma ideia não basta: é preciso envolver outras pessoas para cumprir os quatro estágios e inovar.

Qual é a importância do crowdsourcing para encontrar soluções?

Há 10 ou 20 anos, uma empresa levava meses para levantar informações que hoje se obtêm em segundos pela internet. Se você não usar a rede, seu concorrente vai usar. Mas é preciso ser seletivo com essa rede e estar preparado tanto para compartilhar o crédito como para agir rapidamente para se proteger. Ter um bom advogado de propriedade intelectual ajuda bastante.

Ache colegas que têm estilos diferentes do seu e que possam ser úteis. Quando tenho uma ideia, como gerador, logo compartilho com um amigo que é um ótimo otimizador. Ele rapidamente a transforma em um plano prático, daí avançamos. Dependemos um do outro, e isso é bom. Sem confiança, você fica para trás.

Fonte: revistapegn.globo.com

8 comportamentos de pessoas inteligentes

Você é o que você faz. Não adianta saber de todos os números e condições se você não consegue tomar boas decisões que gerarão as melhores consequências para o seu negócio. Pode parecer básico, mas muitas vezes o que impede os empreendedores de alcançar o sucesso é o comportamento deles.

top-inventors-all-time

O especialista Steve Tobak fez uma lista para o site da revista “Entrepreneur” de quais são os comportamentos e posições de pessoas inteligentes. Saiba quais são eles:

1 – Elas tomam decisões inteligentes
Essas são pessoas que sabem que seus atos têm consequências. Elas também sabem o impacto que essas consequências têm em seus negócios. Para fazer boas escolhas, é necessário foco e disciplina.

2 – Elas aprendem com seus erros
Errar é a melhor forma de aprendizado. Ficando cara a cara com a realidade, o empreendedor ou funcionário pode ter uma percepção melhor de suas próprias falhas e encontrar maneiras para acertar da próxima vez.

3 – Elas não sabem todas as respostas
Pessoas inteligentes não precisam agir como se soubessem de tudo. Elas são espertas o suficiente para reconhecer o quanto não sabem.

4 – Elas estão cercadas de outras pessoas inteligentes
Uma pessoa pode até ser inteligente, mas os melhores trabalhos são sempre feitos em equipe. Steve Jobs, por exemplo, recrutava cerca de oito pessoas talentosas para participar de sua equipe de liderança e os ensinava a fazer o mesmo com seus próprios times.

5 – Elas conseguem se adaptar
Saber se adaptar ao ambiente e as pessoas ao redor é uma característica importante em qualquer tipo de carreira. Quem consegue usar os recursos que tem para atingir bons resultados se destacará.

6 – Elas são razoáveis
Tem muita gente que não abre mão de um posicionamento, mesmo que todas as evidências e argumentos provem que ele está errado. Quem não deixar o orgulho e a teimosia de lado para dar mais espaço ao pensamento lógico dificilmente conseguirá ter uma boa convivência no ambiente de trabalho.

7 – Elas não seguem modismos
Deixe os modismos e os pseudoconhecimentos de lado e crie seu próprio caminho. Pense fora da caixa.

8 – Elas reconhecem suas limitações
Não há problema algum em ter ambição. Mas é necessário reconhecer seus próprios limites também. Não corra riscos à toa: saiba o quanto você é capaz de aguentar.

Fonte: http: revistapegn.globo.com

Compartilhando arquivos corporativos sem riscos

noticia2812

Fonte: www.tiespecialistas.com.br

Atualmente, os serviços de compartilhamento de arquivos usados por consumidores estão sendo comercializados como soluções corporativas. Com baixos custos e parcerias com grandes organizações de TI, essas ferramentas tentam convencer empresas, no mundo todo, de que seus ambientes são seguros para o gerenciamento de informações. No entanto, os serviços de compartilhamento em massa não possuem características destinadas e requeridas à proteção de conteúdo e informações corporativas, trazendo complexidade a gestão de segurança, rastreabilidade e auditoria de aceso e manuseio das mesmas.

As inteirações estão cada vez mais digitais e, com isso, as plataformas de colaboração terão que proteger as informações na forma em que são aplicadas. Deve-se levar em conta se as ferramentas introduzidas possuem os mecanismos de segurança embutidos, como acesso e permissões, recursos de auditoria de informações e armazenamento de arquivos com segurança. Isso permite aos administradores de TI manter uma ampla visibilidade dos dados que estão sendo compartilhados.

Outro ponto importante é que as empresas devem garantir que os usuários tenham controle verdadeiro sobre seu “próprio” conteúdo. Os regulamentos existem para estipular como as informações podem ser acessadas e assegurar que serão mantidas dentro de regiões geográficas específicas.

Para demonstrar a conformidade com políticas e penalidades rígidas, os líderes das corporações precisam controlar quais as jurisdições em que os dados são tratados. Antes de implantar quaisquer plataformas na nuvem, as organizações devem examinar de perto os acordos e ter certeza que os dados não poderão ser monitorados, comercializados, suspensos ou eliminados.

Os departamentos de TI também precisam considerar os sistemas de compartilhamento de arquivos como espinha dorsal de arquiteturas de informação integrados que funcionam como um sistema nervoso para a captura, acompanhamento e elaboração de relatórios sobre os requisitos regulamentares.

Recentes incidentes envolvendo aplicações em nuvem reacenderam o controle sobre segurança e o ponto de origem da informação. Como resultado, ao invés de aderir às ferramentas que facilitam a troca de conhecimentos, as organizações simplesmente bloqueiam para manter um controle rigoroso sobre o tipo de informação armazenada, onde é mantida e compartilhada.

Quando se trata de plataformas para consumidores, baseadas em nuvem e com sincronização de dados, é necessário uma nova abordagem. A segurança digital e a localização física do conteúdo são áreas críticas que necessitam ser abordadas. O que as empresas precisam são serviços de colaboração, baseados em nuvem, que sejam construídos especificamente para o meio corporativo a fim de manter a soberania dos dados e garantir que o cumprimento informações e iniciativas de compliance sejam respeitados.

Com o movimento das organizações em direção à nuvem e à adoção de novos processos de negócios digitais, há a necessidade de mais aplicações que reflitam na experiência do usuário e na produtividade com segurança, dentro dos controles da empresa. As ferramentas devem ser construídas especificamente para empresas digitais, combinando os benefícios de uma implementação de nuvem segura, com uma experiência de usuário simplificada em qualquer dispositivo – seja tablet, telefone ou navegador – para permitir aos utilizadores obter informação rápida e fácil.

 

4 dicas para treinar a mente e ter um pensamento criativo

typography-791192_640

Ser criativo não é questão de inspiração momentânea, e sim de treino prolongado. “A sorte favorece apenas a mente treinada”, concordaria o cientista francês Louis Pasteur, autor dessa frase tão repetida há quase dois séculos.

A máxima vale também para os empreendedores. Quem se dedica à criatividade todo dia deixa a cabeça pronta para aproveitar oportunidades assim que elas aparecem.

“Ideias criativas nascem de combinações nada usuais. A melhor solução não será algo em que todo mundo pensa”, afirma Steven Smith, professor de psicologia cognitiva na Universidade Texas A&M, em um artigo publicado no site da Entrepreneur.

Ele chama essas combinações de associações remotas, ou seja, ideias que parecem desconectadas à primeira vista, mas que, no fundo, estão relacionadas. Essa é a essência do pensamento criativo.

Para aumentar as chances de achar o elo perdido no meio do brainstorming, Smith sugere aos empreendedores quatro exercícios cerebrais:

1. Sacuda a rotina

A única maneira de expandir seus horizontes criativos é se cercar de uma vasta gama de perspectivas e de experiências.

Diversidade no escritório é bacana, mas não basta. Fora do trabalho, procure variar o que você come, aonde vai para se divertir, conheça o trabalho de artistas diferentes, varie as leituras e as viagens.

“Essa diversidade permite novos estímulos”, explica Smith. “Isso abre a cabeça para novas possibilidades. É mais provável achar uma solução inusitada quando se tem mais opções na palma da mão.”

2. Aumente a rede de palpiteiros

Ideias importantes geralmente são discutidas no mesmo pequeno círculo de colegas, e por isso respostas óbvias podem passar despercebidas.

“Alguém com menos expertise pode farejar suposições invisíveis imediatamente”, diz Smith. Essas pessoas também podem ajudar a avaliar um problema ou uma ideia sob um prisma novo.

Por isso, a sugestão de Smith é procurar pessoas inteligentes que tenham pouco conhecimento do seu negócio para discutir sobre o que está sendo desenvolvido – há boas chances de que elas surpreendam na busca por soluções.

3. Relaxe as regras mentais

Para treinar a mente para ser mais aberta, é preciso dedicar uma meia hora por dia a pensar em coisas impossíveis. Deixar o pensamento vagar e trazer ideias, mesmo que sejam absurdas, bobas ou divertidas. “O humor ajuda muito a afrouxar as restrições mentais”, afirma Smith.

Nesse momento, é preciso baixar a guarda no filtro seletor de boas ideias. Só assim é possível turbinar a criatividade. “Quem pensa em 99 ideias estúpidas e impossíveis e em uma que funcione gastou bem esse tempo”, completa.

4. Observe o ambiente

As pessoas mais criativas estão sempre de olho em coisas interessantes ao seu redor – mesmo quando elas não servem para nada do que estão desenvolvendo naquela hora.

“Quem se encasula em sua cabeça não percebe ideias criativas que passam sob seu nariz”, avalia o professor.

O antídoto é manter um caderninho ou arquivo eletrônico cheio de ideias, artigos, imagens e até pensamentos que passaram pela cabeça. Esse material provavelmente será útil quando menos se esperar.

Fonte: revistapegn.globo.com

5 coisas que pessoas carismáticas fazem

Exalar alegria é o primeiro passo para desenvolver a característica

Carisma se sente no ar. Não se trata apenas de alguém agradável. Pessoas carismáticas chamam atenção. Eles energizam os outros e os motivam a tomar iniciativa. Será que essas pessoas nascem assim ou aprendem a desenvolver a característica? Uma mistura dos dois, provavelmente.

 

O carisma pode ser desenvolvido e se esta é sua aspiração, o site da Inc. listou cinco dicas para começar.

1. Pessoas carismáticas exalam alegria

A primeira coisa a ser notada em alguém carismático é o brilho no olhar. Elas sentem uma forte paixão que as movem. Mesmo quando bravas, elas convencem os outros de suas causas. Elas sentem prazer pelo que fazem e compartilham experiências. Aumente seu carisma ao compartilhar paixões e ao ajudar colegas.

2. Pessoas carismáticas inspiram confiança
Elas parecem ter o mundo sob controle. Elas parecem ser seguras, mesmo quando não são de fato. Pessoas carismáticas acreditam em suas habilidades, em seus conhecimentos e em seus valores. A linha tênue entre narcisismo e confiança também é clara. Invista no carisma ao controlar inseguranças e enaltecer qualidades. Compartilhe sua confiança com os outros para que eles se sintam mais fortes com sua presença.

3. Pessoas carismáticas compartilham suas convicções
Elas se destacam melhor quando estão à frente de um movimento. É importante acreditar em algo poderoso e disseminar essa crença. Convicções e ações consistentes influenciam opiniões e decisões. Apatia e indiferença podem acabar com o carisma. Seja comprometido e inspire pessoas a lutarem por suas causas.

4. Pessoas carismáticas são ótimas contadoras de histórias
Para seguir alguém, é preciso conhecer o contexto da situação e qual é a verdadeira motivação por trás de uma determinada ação. Contar histórias é a forma mais eficiente para quebrar o gelo e despertar emoções. Pessoas com carisma têm o dom da narração e são agradáveis de ouvir. Elas são intrigantes e envolvem seus ouvintes. Aprenda a contar histórias emocionantes, use metáforas e pratique o bom humor para entreter ao informar.

5. Pessoas carismáticas transmitem empatia
Quando Bill Clinton faz um discurso, por mais que a mensagem seja para milhares de pessoas, a sensação é que ele está falando exclusivamente com você. Este é um talento de carismáticos.  É preciso focar olhos, ouvidos e alma no próximo, e não em si mesmo. Pessoas com carisma provocam risadas, fazem outros se sentirem especiais, fascinantes e interessantes.

Fonte: revistapegn.globo.com

10 lições dos maiores inovadores dos últimos 50 anos

Confira o que podemos aprender com grandes inovadores da nossa era para aumentar os negócios.

Steve Jobs: Quando pequeno, o pai de Jobs o ensinou a mexer com eletrônicos o que o inspirou, no futuro, a construir a Apple.  (Foto: Reprodução)Grandes empreendedores são inspiração para buscarmos novos desafios e seguir seus passos. Independente se você é funcionário ou dono de uma empresa, há muito que aprender com eles. Recentemente, estudei a vida e obra de grandes inovadores como Mark Zuckerberg (Facebook), Jeff Bezos (Amazon), Steve Jobs (Apple), Larry Page (Google) e Sergey Brin (Google), que serviram de inspiração para escrever um livro. Pude descobrir uma série de lições em comum que eles utilizaram ao longo de suas trajetórias e que compartilho aqui com vocês.

 

1. Não tenha medo de correr riscos
Para uma empresa como o Google, que valoriza muito a análise de dados em larga escala, pode parecer estranho correr riscos e aceitar incertezas nos projetos. Os dados são importantes para verificação da demanda e validação dos projetos piloto, mas nada disso impede que novos produtos inovadores sejam gerados e lançados, mesmo que tenha grandes níveis de incertezas. Essa abordagem já rendeu grandes fracassos para a empresa, mas também grandes sucessos.

2. A inovação não precisa ser somente nos produtos
Os grandes inovadores pensam a abordagem de modo sistêmico, vislumbrando oportunidades em diferentes partes do negócio. Quanto mais tipos de inovações conseguirmos incorporar, maior a proteção e robustez do modelo de negócios criado. Uma ferramenta importante para fazer essa avaliação pode ser o Innovation Storming.

3. Conecte os pontos
De acordo com pesquisa realizada pelos professores Clay Christensen, Hal Gregersen e Jeff Dyer, uma das principais características que separam uma pessoa criativa das outras é a habilidade de associação entre diferentes situações, problemas e ideias de campos até mesmo não relacionados. Essa busca por combinar experiências e visões de campos distintos colaborou bastante na capacidade de inovar de Jobs, por exemplo, e ele fala exatamente disso neste discurso.

4. Forme equipes de alto nível
O impacto das contratações iniciais em uma startup é muito grande no futuro do negócio, especialmente na cultura organizacional que está se formando. Contratar as pessoas erradas no começo pode impactar negativamente nos valores desejados pelos empreendedores. Bezos dizia que se você contratasse tubarões, não se podia esperar que eles agissem como golfinhos. O processo de recrutamento para montar uma estrutura organizacional coerente com a cultura era fundamental. Era preferível entrevistar 50 pessoas e não contratar ninguém do que contratar a pessoa com o perfil errado.

5. Facilite a colaboração e o trabalho em equipe
Apesar do senso comum acreditar que as inovações da Apple eram fruto do trabalho solitário de Steve Jobs, sendo ele responsável sozinho por todos os desenvolvimento, na realidade os grandes projetos foram fruto de um grande trabalho em equipe, em que ele atuava direcionando as pessoas com sua visão e, em alguns momentos, se envolvendo até nos pequenos detalhes.

6. Fomente uma cultura incomparável
A concorrência não consegue copiar a cultura – esse é um dos mantras gerenciais de Bezos. Para ele, a cultura organizacional é um ativo importantíssimo para garantir liderança nos mercados em que atua, replicando o “jeito Amazon” de fazer negócios. Alguns elementos importantes dessa cultura única estão na obsessão pelos clientes, a frugalidade na operação e a constante busca por inovações de todas as naturezas.

7. Coloque as pessoas certas para fazer as coisas certas
Com o crescimento do Facebook, Zuckerberg, com apenas 23 anos, teve que buscar uma pessoa que pudesse fazer melhor que ele algumas atividades importantes. Para ele, “alguém que é excepcional em sua função não é apenas um pouco melhor do que alguém que é muito bom. Ele é 100 vezes melhor”. Sandberg na época era vice-presidente de vendas online globais e operação no Google e foi pescado porque tinha a experiência necessária para transformar o negócio de publicidade do Facebook em algo realmente grande.

8. Mantenha o motor da inovação ligado
Jeff Bezos dizia que: ”minha visão é que não há momento ruim para inovar. Você deve inovar nos bons e maus momentos – e você deve fazer isso em coisas que o seu cliente valorize”. Essa é a postura dos inovadores: a busca constante por inovações para manter o negócio atualizado.

9. Tenha senso de urgência e execução
A “mentalidade hacker”, termo que Zuckerberg utilizou na carta aos acionistas no lançamento das ações, é um mantra da forma como ele as outras pessoas trabalham no Facebook. Mover-se rápido, com alta produtividade, e “quebrar” coisas resume a prática de trabalho desejada e tem sido fundamental para o sucesso da empresa.

10. Comunique a inovação
Normalmente, em sua apresentações de lançamento de novos produtos, Jobs escolhia um vilão para mostrar aos presentes que suas inovações eram os mocinhos. No iPhone, foram os smartphones com teclados fixos. No lançamento do iPad, o papel ficou por conta dos netbooks. Em cima das fragilidades dos concorrentes, ele apresentava seus diferenciais. Havia um cuidado muito grande para mostrar tudo de novo que os produtos e serviços traziam e fazer isso chegar aos ouvidos dos clientes o mais rapidamente possível.

Fonte: revistapegn.globo.com